Quinta, 21 de Novembro de 2019

Grupos de teatro amador de Esposende preparam duas novas estreias

No âmbito do programa municipal CREARTE – Crescimento da Arte Teatral em Esposende, os grupos de teatro amador da Juventude Unida de Marinhas (JUM) e de Fonte Boa vão estrear duas produções teatrais.

Assim, no próximo dia 30 de novembro, às 22h00, o grupo de teatro da JUM leva à cena, no Salão Paroquial de Marinhas, a peça “Ensaio Geral”, de Vitor Gabriel, e, no dia 14 de dezembro, às 21h45, no Centro Social e Paroquial de Fonte Boa o Grupo Teatro Fonte Boa (GARFO) estreia a peça “A Talha”, de Luigi Pirandello. Ambas as produções contam com encenação de Jorge Alonso e Eva Fernandes.

“Ensaio Geral” é uma opereta cómica. Um grupo de teatro ensaia uma famosa tragédia portuguesa e hoje é o dia do ensaio geral. O encenador quer começar o ensaio mas falta a atriz principal da cena. Como a estreia é no dia seguinte é preciso ensaiar, tem que se arranjar uma solução que passe pela substituição da atriz em falta. A escolha de quem a irá substituir e o que daí resulta irá gerar situações cómicas e inesperadas. E como se não bastasse ter faltado a atriz principal, uma outra à última da hora avisa que não virá também. Todos procuram remendar estas faltas, inclusive o “ponto” que terá um importante papel nesta trama. Para adensar a questão o empresário do teatro, o mecenas, assistiu escondido a todo este rol de cenas falhadas e interrompidas. Será mesmo possível estrear? Iremos então assistir ao desenrolar de um ensaio geral muito especial.

A peça “A Talha” retrata a história de um rico e conflituoso latifundiário; o famoso Don Lolò, antecipando uma grande colheita de azeitonas, compra uma gigantesca Talha para armazenar o óleo extra que será produzido. A Talha é colocada numa despensa mas sem motivo o objeto é encontrado completamente quebrado e dividido em dois.

O Artesão Zi Dima, famoso na área por ter inventado a sua singular e poderosa cola é chamado mas Don Lolò insiste no uso de agrafes. Zi Dima põe-se a trabalhar, irritado com a falta de confiança na sua cola, conserta a jarra com agrafes mas acaba preso dentro dela por causa da colocação dos agrafes. A cola é tão poderosa que a única maneira de o soltar seria esmagar a Talha. Don Lolò, o dono do pote, vai então à cidade para consultar o seu advogado, que o aconselha de que é legalmente obrigado a quebrar o dito pote para libertar Zi Dima, mas que Zi Dima será obrigado a compensá-lo pelo valor da Talha. O que se segue é uma série de ações farsescas que, eventualmente, irão levar Don Lolò a ser alvo da piada de toda a aldeia. Uma situação paradoxal, no limite do grotesco, e um final inesperado de humor Pirandelliano, são os ingredientes desta hilariante obra.

O projeto CREARTE está a ser dinamizado pelo Município com o intuito de incentivar o crescimento da arte teatral no concelho. Através deste, os grupos locais de teatro amador têm tido a oportunidade de desenvolver produções teatrais e de fazer a sua apresentação em vários espaços do concelho, o que se traduz no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU “Educação de Qualidade” e “Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade”.