Segunda, 07 de Maio de 2018

Município de Esposende (Re)Vive património cultural do Junco

Entre os próximos dias 8 e 13 de maio, Forjães vai centrar atenções sobre o património ligado ao junco.

No âmbito do Ano Europeu do Património Cultural, o Município de Esposende vai levar a efeito a atividade ‘À descoberta de… Forjães’, em parceria com a Junta de Freguesia de Forjães e com o apoio da ACARF-Associação Cultural, Artística e Recreativa de Forjães, GADTF-Grupo Associativo de Divulgação Tradicional de Forjães e grupo de teatro Forjães em Cena.

O programa engloba um conjunto de atividades que decorrerão no Centro Cultural de Forjães, com entrada livre, com destaque para o Seminário “O Artesanato do Junco. História, Arte, Contexto Social e Ambiental da sua Produção”.

Naquele espaço, estará patente, entre os dias 8 e 13 de maio (de terça-feira a domingo), a exposição “As Artes do Junco”, na qual poderão ser apreciados vários artigos feitos em junco e os diversos artefactos que são utilizados para a elaboração do artesanato de junco, com especial destaque para o tear onde são confecionadas as peças. A matéria-prima, desde o seu estado primitivo até ao produto final, após o tingimento, poderá ser apreciada nesta mostra, bem como alguns trajes de trabalho que faziam parte do dia-a-dia de trabalho das pessoas que se dedicavam a esta atividade económica.

No sábado, dia 12 de maio, às 15h00, terá lugar o Seminário “O Artesanato do Junco. História, Arte, Contexto Social e Ambiental da sua Produção”. Na abordagem histórica desta expressão do património cultural do concelho de Esposende, Brochado de Almeida incidirá a sua intervenção sobre “A História do Artesanato do Junco em Forjães”. A visão atual e inovadora da promoção e divulgação do artesanato do Junco e do concelho de Esposende será abordada na temática “O Artesanato do Junco no Projeto ‘CREATOUR’, para um Turismo Criativo em Esposende”, por Olga Matos e Paula Remoaldo. Abordar-se-á, ainda, o trabalho do Junco como uma manifestação do Património Cultural Imaterial concelhio, designadamente o seu aspeto técnico, artístico, a sua relação com a comunidade e com o meio ambiente. Álvaro Campelo vai falar sobre “O Artesanato do Junco como Património Imaterial: o artesanato, a sociedade, o espaço ecológico”.

Este Seminário foi alvo de acreditação pelo Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Barcelos e Esposende, pelo que os professores que participem terão créditos.

A encerrar o programa, no domingo, 13 de maio, às 15h00, decorre o “Encontro Etnográfico – À volta do tear”. Esta atividade inicia-se com uma visita à exposição, seguindo-se a apresentação da proposta de Estratégia Global Para o Estudo e Promoção do Artesanato de Junco. Depois haverá lugar a conversas em torno do ciclo do junco, intercaladas com momentos de cantigas pelo Grupo Associativo de Divulgação Tradicional de Forjães, terminando com a apresentação do projeto de turismo criativo CREATOUR. Neste Encontro Etnográfico também se procurará mostrar ao vivo o trabalho do artesanato do junco: o que foi, com o testemunho daqueles que já trabalharam neste ofício e o que é, com o trabalho ao vivo e com a experimentação por parte do público.