Um dia em Esposende

Aproveite e faça uma escapadinha a Esposende, na costa atlântica do norte de Portugal…

Este concelho harmoniza todas as vertentes da natureza, oferecendo extensos areais e dunas, pinhais e zonas florestais, montes e arribas fósseis, rios e mar, tudo enquadrado num equilíbrio dinâmico e que permitem afirmar: “Esposende, um privilégio da natureza”. O Parque Natural do Litoral Norte guarda inúmeros valores ligados à fauna e flora. A Rede Municipal de Percursos Pedestres é sempre uma excelente opção para quem deseja palmilhar o terreno, passo a passo. O acervo arqueológico do território riquíssimo, com especial destaque para o Castro São Lourenço e Centro Interpretativo que está adjacente. Através da Rede de Museus do Mar poderá conhecer um vasto espólio histórico, cultural e sentimental evocando a memória da nossa comunidade marítima. Na cidade, realce-se pelas suas caraterísticas excecionais, a Capela do Senhor dos Mareantes no interior da igreja da Misericórdia. Estes são apenas alguns dos motivos de interesse, em que a riqueza da paisagem natural e do património construído se conjugam de forma única, compondo paisagens de elevado valor cénico e ambiental, e que confirmam Esposende como um dos mais belos concelhos da região Norte.

JOVENS (18 A 35 ANOS)

Kitesurf

O kitesurf é praticado com uma prancha tracionada por uma asa tipo parapente, proporcionando a partir da água manobras fabulosas e arrojadas. Esposende possui condições excecionais, técnicas e geográficas, para o exercício desta atividade sendo considerado um hotspot da modalidade, dadas as condições ímpares que reúne para a sua prática. Com a possibilidade de albergar praticantes de vários níveis, a beleza do local, da restinga e rio Cávado, são magníficos panos de fundo para quem quer iniciar-se nesta atividade ou dar azo à imaginação nas suas acrobacias. Deixe-se maravilhar pela experiência, independentemente do seu nível atual de kitesurf.

Almoço

A Gastronomia em Esposende é riquíssima garantindo um vasto repertório de paladares, numa “cozinha” dominada pelos “sabores do mar” oriundos do Atlântico e dos rios Cávado e Neiva. No concelho de Esposende, muitos dos restaurantes oferecem pratos de polvo de confeção tradicional, utilizando o conhecido polvo da pedra. Na confeção do “Polvo à Esposende”, tanto se pode utilizar polvo fresco como congelado, desde que seja pescado na costa do concelho de Esposende, tendo por base uma caldeirada com a utilização da batata, pimento, cenoura, tomate, grelos e outros hortícolas locais. Da “terra” surgem os leves, suaves e aromáticos vinhos verdes e os hortícolas da franja litoral. Do leite nascem as reconhecidas manteigas e queijos de Marinhas. Uma merecida referência final à gulosa doçaria, onde se destacam as Clarinhas de Fão.

 

“Castro de S. Lourenço

Este percurso pedestre de pequena rota circular, com uma extensão de cerca de 10 km, têm início no Castro de São Lourenço e segue para a descoberta de outros monumentos milenares, marcas da presença do Homem em outros tempos anteriores aos castros, que se encontram localizados no planalto de Vila Chã. Não será só a valência monumental, como motivo para esta caminhada, pois há muito mais para apreciar, tem termos paisagísticos, naturais e etnográficos.

ADULTOS (36 A 60 ANOS)

Castro e Centro Interpretativo de São Lourenço

Imóvel de Interesse Público (Castro)

Para melhor conhecer o Monte de S. Lourenço e interpretar toda a área geográfico-arqueológica do concelho, onde se inclui o Castro de São Lourenço, o melhor será visitar o Centro Interpretativo de S. Lourenço, um equipamento cultural com valências de exposição e serviços. O Castro de S. Lourenço foi edificado por povos da Idade do Ferro. As antigas construções do povoado foram devastadas ao longo dos séculos, em larga parte da sua original extensão, fundamentalmente devido à recolha de pedra e a terraplanagens. Ainda assim, é possível ter uma ideia razoável de como seria o povoado aquando da sua edificação: era protegido por duas ordens de muralhas e as habitações originais seriam de planta sub-circular, ocupando as encostas em socalcos firmados por muros de suporte. A romanização trouxe as casas de planta retangular, a tégula (telha romana), as cerâmicas romanas produzidas em paragens longínquas e as moedas.

 

Almoço

A Gastronomia em Esposende é riquíssima garantindo um vasto repertório de paladares, numa “cozinha” dominada pelos “sabores do mar” oriundos do Atlântico e dos rios Cávado e Neiva. No concelho de Esposende, muitos dos restaurantes oferecem pratos de polvo de confeção tradicional, utilizando o conhecido polvo da pedra. Na confeção do “Polvo da Pedra `Esposende” Esposende, tanto se pode utilizar polvo fresco como congelado, desde que seja pescado na costa do concelho de Esposende, tendo por base uma caldeirada com a utilização da batata, pimento, cenoura, tomate, grelos e outros hortícolas locais. Da “terra” surgem os leves, suaves e aromáticos vinhos verdes e os hortícolas da franja litoral. Do leite nascem as reconhecidas manteigas e queijos de Marinhas. Uma merecida referência final à gulosa doçaria, onde se destacam as Clarinhas de Fão.

 

“Caminho da Memória”

Trata-se de um percurso pedonal com cerca de 6 Km que atravessa a vila de Fão, antigo centro salineiro na Idade Média, com destaque para a sua zona histórica e paisagem natural ao longo do estuário do rio Cávado e praias oceânicas. Tendo como ponto de partida a Alameda do Bom Jesus, onde se encontra inserido o templo do Senhor do Bom jesus, segue depois para a zona de Ofir e bonanças, regressando à vila.

 

SENIORES (+ DE 60 ANOS)

Caminho dos Mareantes

É um percurso pedestre urbano que percorre e retrata os diferentes ambientes da cidade e da sua história ligada à tradição marítima, salientando alguns dos valores patrimoniais e naturais, e permite que o olhar repouse no estuário do Cávado prolongando-se até ao Oceano Atlântico. Parte da praça onde se encontra o monarca D. Sebastião, percorrendo depois as ruas da cidade. Destaca-se pela sua monumentalidade a Capela dos Mareantes (séc. XVI), imóvel de interesse público e parte integrante da Igreja da Misericórdia de Esposende. Visita obrigatória ao Museu Municipal, instalado no antigo Teatro Club, o Pelourinho e o edifício dos Paços do Concelho. A Capela dos Mareantes dá o mote ao percurso e serviu de inspiração ao nome do itinerário, tendo o baluarte do Forte de São João Baptista fornecido a silhueta para o logotipo e a marca.

Almoço

A Gastronomia em Esposende é riquíssima garantindo um vasto repertório de paladares, numa “cozinha” dominada pelos “sabores do mar” oriundos do Atlântico e dos rios Cávado e Neiva. No concelho de Esposende, muitos dos restaurantes oferecem pratos de polvo de confeção tradicional, utilizando o conhecido polvo da pedra. Na confeção do “Polvo da Pedra `Esposende” Esposende, tanto se pode utilizar polvo fresco como congelado, desde que seja pescado na costa do concelho de Esposende, tendo por base uma caldeirada com a utilização da batata, pimento, cenoura, tomate, grelos e outros hortícolas locais. Da “terra” surgem os leves, suaves e aromáticos vinhos verdes e os hortícolas da franja litoral. Do leite nascem as reconhecidas manteigas e queijos de Marinhas. Uma merecida referência final à gulosa doçaria, onde se destacam as Clarinhas de Fão.

 

Castro e Centro Interpretativo de São Lourenço

Imóvel de Interesse Público (Castro)

Para melhor conhecer o Monte de S. Lourenço e interpretar toda a área geográfico-arqueológica do concelho, onde se inclui o Castro de São Lourenço, o melhor será visitar o Centro Interpretativo de S. Lourenço, um equipamento cultural com valências de exposição e serviços. O Castro de S. Lourenço foi edificado por povos da Idade do Ferro. As antigas construções do povoado foram devastadas ao longo dos séculos, em larga parte da sua original extensão, fundamentalmente devido à recolha de pedra e a terraplanagens. Ainda assim, é possível ter uma ideia razoável de como seria o povoado aquando da sua edificação: era protegido por duas ordens de muralhas e as habitações originais seriam de planta sub-circular, ocupando as encostas em socalcos firmados por muros de suporte. A romanização trouxe as casas de planta retangular, a tégula (telha romana), as cerâmicas romanas produzidas em paragens longínquas e as moedas.

 

Faça download do PDF completo: [Um dia em Esposende]