a

Gandra

Apesar das grandes transformações que sofreu ao longo dos séculos, a Igreja Paroquial de Gandra apresenta ainda algumas características que parecem apontar para uma origem românica. O templo atual data do século XVII e é dedicado a S. Martinho. Trata-se de uma construção em alvenaria, sem reboco ou pintura. Do lado sul, no ângulo do corpo principal com uma das capelas laterais, está adossada a sacristia. Na empena norte está erigida a torre sineira. A fachada principal deixa ver uma rosácea quadrilobada que culmina em cruz. Também as capelas laterais ostentam rosáceas do mesmo tipo. No interior não deixe de admirar os altares, em talha dourada, do melhor barroco português. Em face da igreja está o cruzeiro paroquial. A data de 1116 aparece inscrita no bloco da base. O fuste é uma coluna lisa no topo da qual assenta um capitel nervurado e uma cruz trilobada.

A fachada da Capela da Senhora Guadalupe é austera, rasgada apenas por duas pequenas janelas e pela porta principal, encimada por um óculo circular. O frontão triangular, com pináculos nos ângulos, remata esta fachada, acentuando essa face de rigorismo oitocentista. Sobre a beirada sul há uma pequena sineira, esta de sabor renascentista. Do lado oposto, adossada a norte, foi erigida uma ampla sacristia. No interior vale a pena admirar os tetos estucados e o altar-mor, em gosto da Renascença, com a imagem setecentista de Nossa Senhora de Guadalupe ao centro.